Paula Leal

 

Obstetriz  – com (e para) as mulheres!

Sou obstetriz formada pela USP, mas gosto mesmo é de ser chamada de “parteira”. Isso porque escolhi, lá em 2005, aliar minha escolha de formação profissional com uma certeza que já vinha crescendo na minha história de vida: o desejo de trabalhar com mulheres, e para as mulheres.

Desde bem cedo questionei a desigualdade social entre homens e mulheres e brinco que já nasci feminista… E hoje vejo que ser parteira não foi pura escolha, foi sintoma de toda essa história. Trabalhei numa ONG feminista, com projetos que fortalecia o trabalho de mulheres por todo o Brasil e em seguida me joguei para a assistência obstétrica… e que decepção! Durante toda a formação, já fui me preparando para toda a violência contra nós mulheres e nossos corpos, também no momento de escolher ou não ser mãe, gestar e parir.

Trabalhei em hospitais públicos e privados, com o trabalho de formiguinha de questionar a violência obstétrica em cada uma dessas instituições. Mas em 2012, depois de anos cansada e desejando encontrar e me unir a outros profissionais que falassem a mesma língua que eu, joguei tudo pro alto e mudei de cidade para começar a atender apenas gestantes em busca da assistência humanizada. De lá pra cá, muita coisa aconteceu, o aprendizado diário com cada mulher e família que me escolhe para estar com eles nessa travessia que é o permitir-se abrir pro novo que sempre é a espera de um bebê.

Entrei pra Lumos quando ainda morava fora de São Paulo, mas em pouquíssimo tempo fui convencida a vir de mala e cuia pra cá para poder me dedicar integralmente aos atendimentos, junto com as equipes multidisciplinares, com consultas e grupos de pré-natal, pós parto, assistência ao trabalho de parto e parto, apoio à amamentação e aos processos de encontro com a maternidade. E desde o ano passado encontrei também outro caminho muito prazeroso a trilhar na minha formação para somar nessa história de parteira feminista: comecei a estudar psicanálise e, desde então, venho só agregando ainda mais na certeza do porquê trabalhar com mulheres, e para as mulheres. Estar na Lumos é encontrar terreno e apoio para crescer esse caminho. Seguimos juntas!