Marina Carrilho

Existe uma família antes e depois do surgimento de uma criança?

Me deparo com essa pergunta desde meus primeiros estágios e percebo uma centralidade da família como produtora de conflitos, mas também de saídas para os maiores desafios da vida.

Psicóloga, aprimorada em Psicoterapia de Casal e Família e mestranda em Psicologia Social pela PUC-SP segui minha formação em psicanálise no ano de 2014 pelo Fórum do Campo Lacaniano de São Paulo sempre me perguntando sobre os determinantes da construção de uma saúde mental possível e não moralista.

Na gestação retomei uma série de questões sobre o cuidado e encontrei no mundo do parto humanizado muitas respostas para minhas perguntas. Entre as várias propostas de atendimento percebi uma centralidade dos dispositivos feministas na produção de saberes sobre a maternidade, o que me levou a ter um novo olhar para a psicanálise e seu lugar em nosso tempo.