Maíra Scombatti

 

Psicopedagoga por vocação, terapeuta por paixão, jornalista (aposentada) por curiosidade, mãe por superação

 

 

É difícil localizar de onde Maíra vem. A psicopedagoga de sobrenome italiano nasceu na França e morou em Natal, São Paulo, Florianópolis, Jundiaí e São Paulo de novo. Geminiana de interesses múltiplos e escorpiana de sentimentos profundos, sempre foi observadora e conversadeira, muito interessada pelos encontros significativos.

Desde pequena estudou teatro e, aos 19 anos, já dava aula de interpretação para crianças, ao mesmo tempo que cursava a faculdade de jornalismo. As aulas impulsionaram um mergulho na psicopedagogia e na pedagogia. Por 9 anos, Maíra trabalhou como orientadora e também como diretora pedagógica em duas reconhecidas  escolas paulistanas. Mas desde que iniciou os atendimentos na clínica do Instituto Sedes Sapientiae, em 2002, também se apaixonou pelo trabalho terapêutico e passou a atender no consultório como psicopedagoga.

Entre 2009 e 2012, Maíra teve três filhos, dois humanos, Theo e Ian e um “de papel”, o livro “Conversas de Gente Grande – Histórias Infantis para Adultos” (Ed. Com-Arte/USP).

Em 2015, simultaneamente à graduação em Psicologia, passou a ser colaboradora no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, onde ainda empreende oficinas teatrais para crianças e adolescentes em tratamento.

O trabalho de consciência corporal, bastante presente em todo o percurso com a arte cênica também foi retomado e aprimorado na formação em SE – Somatic Experiencing®, cursada entre 2016 e 2018.

O nascimento dos filhos motivou uma profunda relação com o universo da humanização. Na busca por um parto na água, Maíra conheceu o antigo Grupo de Apoio à Maternidade Ativa (GAMA). Após uma gestação de muitas descobertas e aprendizados, seu primeiro filho, Theo, nasceu na banheira em casa, em um momento pleno e transformador. “Aquilo foi uma  experiência intensa de empoderamento”.

Com o sucesso do primeiro parto, Maíra não tinha dúvidas de como queria ter o seu segundo filho, mas com 35 semanas de gestação, veio a notícia de que o bebê sofria de uma cardiopatia congênita, necessitando de um suporte de UTI. Com os planos mudados, os medos chorados e a equipe humanizada reforçada, seu segundo filho, Ian, veio ao mundo num intenso e também lindo parto natural hospitalar.

Mesmo com toda a superação, o que veio depois foi bem difícil. Ian precisou da cirurgia e UTI. Mas tudo deu certo. Eles tiveram alta para seguir suas vidas normalmente com acompanhamento médico esporádico. “Amamentei na UTI e não foi fácil, mas ter dado conta desse desafio, me fortaleceu”.

Na volta ao trabalho, Maíra estava novamente transformada. As experiências desafiadoras do seu segundo parto e da criação de dois meninos enriqueceram sua capacidade de escuta e empatia nos desafios das vidas dos seus pacientes também.

Nesse novo momento da vida e carreira, ela acompanhava de longe o nascimento da Lumos por meio de contatos profissionais e amigos em comum. Foi quando aconteceu o contato com Vania Gato e o convite para o novo trabalho.

“A Lumos é um espaço acolhedor – dá para sentir quando a gente entra aqui. Espaços assim são raros e importantes em São Paulo. Aqui tem profissionais dispostos a ajudar famílias que querem criar filhos de maneira mais conectada e mais presente desde a gestação, passando pelo parto e pelos primeiros cuidados, até chegar à infância e adolescência”.

Na Lumos, Maíra também faz atendimento familiar.

Atendimento:

Sextas das 09:00 às 13:00

Segundas das 14:00 às 20:00