fbpx
 

Cocôs esquisitos

Cocôs esquisitos

Sobrevivendo aos cocôs esquisitos de 1-12 meses. Aqui vamos falar no geralzão, ok?!

 

1- Quantidade: quanto mais novo for o bebê, mais cocô ele fará. Até o primeiro mês espera-se pelo menos 1 cocô por dia. Depois disso, em geral, o bebê assume um padrão de 2-3 cocôs/dia, mas é super normal ficar alguns dias sem fazer (7 dias) ou fazer vários no mesmo dia. O que importa é avaliar o padrão de cada bebê.

 

2- Consistência do cocô: bebês mudam as evacuações o tempo todo, isso se deve ao amadurecimento do intestino e também ao leite materno, que é diferente a cada mamada. Tem vezes que sai bem durinho, outras mais cremosinho e às vezes sai água pura. É por isso que é super difícil de diagnosticar diarréia em bebês. O que vocês devem prestar atenção é se houve uma mudança no padrão intestinal daquele bebê e se ele está desconfortável, incomodado. Um cocô diferente sem mais nada junto não quer dizer nada.

 

3- Cor: qualquer tom de verde/ amarelo é normal!! Em recém-nascidos (<28 dias de vida) é um pouco diferente este conceito, mas vamos focar nos maiores. Sangue no cocô não é normal, mas também não é motivo para pânico. Avisem o pediatra. Os cocôs preocupantes são aqueles de cor preta, cinza ou branca. Fora essas, se sair um cocô diferente do habitual e ele estiver bem, feliz da vida, ignorem.

 

4- Muco ou espuma: alguns bebês fazem um cocô que parece um catarro, às vezes tem uma espuma também. Essas são variações da normalidade, o intestino é um órgão que produz muco. Diante de quadros infecciosos ou mesmo normalmente é possível que saia um mucozinho. Nem todo cocô com muco quer dizer que tem alguma coisa errada. Devemos juntar esse dado a outros possíveis sintomas para ver se o bebê tem alguma doença. Portanto, cocô com muco isoladamente não quer dizer que o bebê esteja doente.

 

5- Alguns bebês tem o trânsito intestinal mais acelerado e fazem cocô com alguns pedaços de alimentos, com gordura ou mais explosivos. Alguns alimentos fazem os cocôs ficarem esquisitos: banana, feijão, carne vermelha e beterraba, por exemplo. A gente observa o padrão e a relação desses cocôs com os alimentos ingeridos.

 

6- Resumão sobre cocôs esquisitos: primeiro observem em 24h se aquele cocô vai reaparecer ou se o bebê vai apresentar algum sintoma. Cuidado com os falsos diagnósticos de alergia à proteína do leite de vaca. Se você tem dúvida sobre qualquer aspecto do cocô do seu bebê, procure seu pediatra ou gastropediatra para maiores esclarecimentos.

 

7- O melhor mantra de cocô esquisito é: seja lá o que for isso, já tá fora do meu bebê.

 

Dra Vania Gato – pediatra e neonatologista da Lumos Cultural